segunda-feira, 1 de maio de 2017

Anonimato Vs. Não-Anonimato





Desta vez, decidi falar sobre algo relacionado com a blogosfera. O anonimato e o não anonimato. Um tema importante que está presente neste mundo dos bloggers e que, na minha opinião, a maioria já deve ter passado por ambos os lados. Eu já fui anónima durante muito tempo. Até ao ano passado. Foram anos muito bons, mas um dia decidi parar. Decidi isso porque acho que uma parte de mim já não se quer esconder mais atrás de um nome falso e de uma imagem de perfil que não é a minha. Obviamente que eu não estou a criticar quem o faz. Aliás, até sigo bloggers anónimos fantásticos e isso deu-me oportunidade de, mais tarde, conhece-los verdadeiramente. Ser anónimo não significa estarmos a esconder quem nós somos. Simplesmente, só nos escondemos fisicamente. Mas a nossa personalidade está lá a maioria das vezes. Se eu tenho saudades de ser anónima? Tenho. E por vezes dá-me vontade de o ser novamente. Mas, depois penso que é melhor não. Pelo menos para mim, porque eu sei que posso voltar a cometer o mesmo erro.

 


Vantagens e desvantagens do anonimato 

Para uns, ser anónimo pode tornar-se uma liberdade maior. Podem sentir-se mais à vontade em escrever o que querem, em partilharem o que querem, sem receio de que alguém conhecido saiba quem é a pessoa que está por trás. Ou seja, pode trazer um maior conforto. Existem pessoas que, quando não são anónimas, sentem uma certa restrição ou sentem como se estivesse uma muralha a travá-los de escrever, porque têm um certo receio de serem julgadas por quem os conhece. Deste modo, ao serem anónimos, não têm que se preocupar com isso. Podem escrever o que querem, porque ninguém as conhece verdadeiramente ali para as julgar (e, mesmo não conhecendo, julgam à mesma).
No entanto, para outros, ser anónimo pode ter o efeito contrário. Sentem-se menos à vontade em escrever o que sentem, porque têm receio de que alguém que as conheça, possa de alguma forma, “reconhecer” a pessoa que está por trás, por causa daquilo que escreveu. Podem sentir-se menos “verdadeiros” com eles mesmos, por estarem a esconder-se através de um nome e de uma imagem de perfil que não é sua. Pode haver também uma certa muralha que os trave de se expressarem.
Ou seja, o anonimato não é concretamente algo mau, nem bom. Penso que é algo que depende de pessoa para pessoa. Há uns que se sentem melhor sendo anónimos e outros que não.
No entanto, penso que, no geral, o anonimato pode tornar-se algo mau quando a pessoa exagera nas informações que dá acerca de si mesma. Conta problemas pessoais que não são para ser revelados na internet que, muitas vezes, sem intenção, podem levar a que alguém os descubra. Isto porque acabam por reconhecer aquilo que está escrito. Alguém pode ler e pensar para si mesmo “Conheço alguém que está a passar tal e qual por isto!”.



Experiência pessoal: 

Eu fui anónima desde os meus 12 ou 13 anos até aos 18 anos. O que acontecia era que, muitas vezes, excedia-me demasiado naquilo que contava. Isso levou a que desistisse dos blogs, passado nem um ano. Acho que, lá no fundo, era uma mensagem do Universo, a dizer que, para resultar para mim, devia tirar o anónimo. Isso fazia com que me controlasse mais naquilo que escrevia e evitava a criação de problemas, se alguém, algum dia, fosse descobrir quem eu era. De certa forma, isso aconteceu. Ainda tentei várias vezes fazer com que resultasse (daí ter criado alguns blogs desnecessariamente), porque eu gostava mesmo de ser anónima. Mas só por um lado. Porque, por outro, às vezes tinha uma vontade imensa de mostrar quem eu era. Imediatamente, apercebi-me que, não devia mudar de blog, mas sim, devia mudar o meu rumo. 





Para quem quer ser um blogger anónimo:

Não excedas nas informações que dás acerca de ti, pois, como eu bem sei, pode tornar-se perigoso e, de certa forma, não te deixa seguro a 100 % por cento. Podes sim e muito bem, contar factos acerca de ti, da tua personalidade, mas não de coisas íntimas e muito pessoais. Podes sim, dar o teu testemunho em relação algumas coisas que passaste, como por exemplo, as tuas experiências no secundário ou na faculdade ou até mesmo caso tenha sofrido de bullying. Como eu fiz. Mas no sentido de dizer que passaste por aquilo, e não propriamente entrar em pormenores. Não contes as chatices que tiveste com o teu namorado ou com a tua amiga, ou que não gostaste do que certa pessoa fez ou deixou de fazer.



Vantagens e desvantagens do não-anonimato:  

Para uns, “dar a cara” é algo assustador. Podem sentir-se limitados a exprimirem-se à vontade. Podem ter medo de expor alguma opinião seja de que tema for, porque é possível ter alguém que os conhece a ler-lhos e, provavelmente, a julgar aquilo que escrevem. Ou simplesmente, porque querem evitar os comentários que ouvirão pessoalmente sobre o seu blog. Por isso, preferem o anonimato.
No entanto, para outros, é uma liberdade maior. É gratificante chegar uma pessoa à nossa beira e dizer que adora o nosso blog e que adora a maneira como nós escrevemos. É gratificante quando dizem “aquela é a autora do blog tal!”. E acho que, de certa maneira, o “dar a cara” ajuda-nos também a ter um controle maior sobre aquilo que expomos. Temos mais cuidado. Não quer dizer que os bloggers anónimos não têm cuidado naquilo que escrevem, claro que é possível terem.



Experiência pessoal: 

Já não é a primeira vez que crio um blog sem o anonimato. O primeiro correu mal, porque eu também não defini objetivos. Simplesmente, criei por curiosidade de experimentar. No entanto, quando criei este segundo blog, tive mais cuidados. Primeiro, decidi não criar um nome à sorte, mas sim um que definisse a mim e ao tema principal do blog. Até agora ainda não me fartei dele e não pretendo mudar. É um nome engraçado e diferente. Segundo, tentei definir os temas principais pelos quais o blog ia andar à volta.  Posso dizer que apesar de muitas vezes não ter ideias para novas publicações, sinto que, desta vez, estou a levar o rumo certo, finalmente. E, como disse, o que eu mais gosto é o facto das pessoas chegarem ao pé de mim e darem-me um feedback tão positivo. Isso significa para mim que eu estou no bom caminho.



Para quem quer ser um blogger não-anónimo:

Existem muitas dicas importantes que devem ser tomadas em atenção. E não se aplica só aos bloggers não anónimos. Primeiro, deves fazer um planeamento daquilo que vais falar no blog, ou pelo menos, os temas principais. Deves também definir os objetivos, o que pretendes alcançar ou qual a razão para teres criado o blog. O nome também é muito importante pois é algo que chama muita atenção, assim como o cabeçalho. Só depois disso é que te preocupas com o design. Claro que o design também é importante, pois é a primeira coisa que o leitor tem contacto. Mas, que vale a pena ter um blog todo bonito, se depois o conteúdo não vai compensar? Por último, e não menos importante, esquece o que os outros vão pensar, ou melhor, não te importes se os outros não gostarem daquilo que escreves. Se eles não gostassem realmente ou te criticassem, eles não perderiam tempo em visitar o teu blog. E se eles realmente perdem, é porque, de certa forma, o teu blog não lhes é totalmente indiferente. Escreve sobretudo sobre aquilo que tu mais gostas e, mais importante de tudo, sê feliz!  

12 comentários:

  1. Adorei *_* Excelentes dicas e sem dúvida que tens razão em tudo o que escreveste.

    ResponderEliminar
  2. Ambos os lados têm as suas vantagens e desvantagens.. O não-anonimato neste momento não é uma prioridade, gostava, mas não agora :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, cada coisa leva o seu tempo, quem sabe se um dia não irás querer?

      Eliminar
  3. Gostei muito do post, deste-nos perspetivas interessantes de ambos os lados.
    Neste momento, sou anónima, porque penso que os meus pais não aceitariam bem o facto de ter um blog, mas adoraria ser não-anónima, dar a cara por algo que me orgulho imenso, e permitir que os meus leitores me reconheçam e vejam como sou fisicamente. Talvez um dia consiga :).
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, eu acredito que um dia irás conseguir. Também estou curiosa para saber quem és, pareces ser mesmo interessante!

      Eliminar
  4. Gostei imenso! Comecei o meu blog há uns dias, na verdade já tentei começar vários mas acho que desta vez é de vez! Este foi um dos meus dilemas! Boas prespetivas!

    Segui!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. boa sorte entao, espero que tenhas sorte com este :)

      Eliminar
  5. Gostei bastante desta post e da maneira como o construíste. Eu sou anónima, pois sinto que assim estou mais "protegida" e também confesso que tenho alguma vergonha do que os meus amigos e a minha família vão achar, pois o mundo da blogosfera é desconhecido para eles. A possibilidade de sair no anonimato é algo que, no momento, não quero mas talvez um dia, se o meu blog crescer, "dê a cara".

    Beijinhos,
    La La Land

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, como disse a outra blogger, cada coisa a seu tempo, quando te sentires mesmo a vontade, força *

      Eliminar
  6. tive um blog anónimo durante 5 ou 6 anos e há pouco tempo decidi que ia dar a cara (embora ainda não o tenha feito :p) e criei este blog que tenho atualmente. gostava muito do outro blog mas chegou uma altura em que já não fazia sentido estar "escondida" e já não me identificava tanto com o blog porque o criei no auge da adolescência e precisava de um capítulo novo :) gostei muito das dicas que deste aqui!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lá está a maioria dos blogs que começam na adolescencia ,normalmente, mais tarde, acabam por tirar o anonimato. É normal isso acontecer :)

      Obrigada :)

      Eliminar