quarta-feira, 1 de março de 2017

Infância || Factos


Uma vez que estou num curso onde o “público-alvo” são as crianças, pensei porque não trazer algo novo para o blog e que esteja relacionado com Educação Básica. Já falei de algumas coisas relacionadas com a faculdade no geral e achei por bem falar de algo mais específico.
As crianças, como sabem, podem por vezes dar-nos dores de cabeça e tirar-nos a paciência. No entanto, por trás dessas desvantagens existem também mais-valias. Neste post, vou falar sobre isso mesmo. Espero que desfrutem.

AS CRIANÇAS...

  • São honestas - Se elas gostarem de ti, elas vão dizer isso, assim como se não gostarem, também vão dizer. Se acharem que estás gorda também vão dizer. No entanto, isso por vezes pode ser confundido com má educação. Pode sim. As crianças de hoje, apesar de serem honestas no que dizem, por outro lado também sabem mentir.
  • São ingénuas – É por isso que elas acreditam no pai natal. Acreditam que o que os adultos dizem é verdade e que certas cenas existentes no mundo da ficção são reais. Quando isso acontece, os pais têm que manter o cuidado, mantendo-os conscientes de que o facto de o spider man conseguir voar, não quer dizer que nós também consigamos. 
  • São mini-adultos – Elas são o nosso futuro. São a nossa esperança para um mundo melhor. Se investirmos mais na educação delas, os problemas no nosso país, assim como em outros, podem mudar.
  • São fofas – Seja na maneira como falam, no que dizem ou simplesmente pelo facto de terem grandes bochechas que nos faz querer apertá-las ao máximo.
  • Não têm noção do que fazem – Claro que não digo para deixarem de os chamar atenção ou para deixarem de os por de castigo quando fazem algo mal, só porque não têm noção das asneiras que fazem. No entanto, é verdade aquilo que elas ainda têm pouco maturidade e consciência para saberem se estão a errar ou não. Fazem-no inocentemente. É por isso que os pais devem estar lá para os alertar quando fazem mal.
  • Imitam aquilo que fazemos/dizemos – Isso comprova aquela minha fase na minha infância em que eu pegava em casacos compridos, nuns sapatos maiores que o tamanho do meu pé, numa mala e maquilhava-me. Queria fingir que era uma adulta. Via as adultas a vestirem-se daquele modo e queria vestir-me igual. Via a maneira como tratavam os bebés, pegava num dos nenucos e fingia que era meu/minha filho/a.
  • Seguem o exemplo dos mais velhos – Nós somos os modelos das crianças. É mais importante, aquilo que os adultos fazem do que aquilo que eles dizem. Muitas vezes os adultos tendem a alertar certos comportamentos das crianças e, em seguida, fazem o oposto. Isso leva a que a criança fique confusa sobre aquilo que deve fazer.
  • Têm o seu jeito natural de serem engraçadas – Como aquele vídeo que vi de uma criança a falar sobre a sua ida às compras com os pais, a contar o que comprou. Achei-a mesmo engraçada e fofa (e, por isso, vi-o não sei quantas vezes). Se fosse um adulto a fazer isso, nós provavelmente pensávamos: “quem é que quer saber se foste as compras ou não, ou o que compraste ou não?” e desligávamos o vídeo a meio ou adormecíamos.

  • Brincar é importante para o seu desenvolvimento – É o problema de muitas crianças de hoje em dia. Não tem tempo para brincar e, mais do que isso, não sabem brincar. E vocês sabem porquê. Primeira razão: tem muita carga horária escolar e chegam a casa com mais trabalhos de casa para fazer. Segunda razão: tecnologias.
  • Não devemos pressionar as crianças do pré-escolar a saber ler e escrever – Lembro-me que quando andava no pré-escolar, era a única criança da sala que não sabia ler nem escrever. Isso porque os meus pais não me tinham incentivado a fazê-lo. Isso fez-me pensar, na altura, que era “burra” ou uma criança com muitas dificuldades. As minhas educadoras queriam que eu soubesse escrever o meu nome como os meus colegas, mas não me ensinavam. Diziam para me desenrascar. Mas agora sei que ainda bem que não me pressionaram a fazer tal coisa. Não é necessário, nem é aconselhável fazer isso. A criança tem tempo para aprender a saber ler e escrever no 1º ciclo. No ensino pré-escolar, as crianças devem aproveitar para brincar, porque, como disse em cima, brincar é muito importante para o seu desenvolvimento. 
  •  A infância é fundamental para a construção da identidade. 

8 comentários:

  1. São mini-adultos e por vezes muito mais assertivos =)

    ResponderEliminar
  2. Eu amo crianças, o meu priminho às vezes sai-se com cada uma xD

    ResponderEliminar
  3. Também sou da área da educação, sou Educadora, e concordo com quase tudo! Não gosto de vê-los como mini adultos. Prefiro vê-los como as crianças que são para não cair no erro de esperar coisas que eles ainda não têem maturidade para fazer. Gosto que eles tenham tempo para brincar sem preocupações ainda que as regras básicas estejam presentes porque isso, sim, irá moldar a sua forma de estar no mundo e em comunidade! Mas de resto penso como tu :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, tem razão :)
      é importante também vermos as crianças como elas mesmas.

      Eliminar
  4. As crianças são inocentes, a educação é fundamental, estás no curso perfeito para isso, para exercer essa boa influência! :)

    ResponderEliminar