sábado, 19 de agosto de 2017

More Than Words || 2nd Chapter || 2nd part






- Look, you have someone there waving to you, for a long time. - A blond boy said, who was on her side.
 Eliana looked the other way and saw Patricia.
- Oh, thanks!
 Then, she heard some gigles and comments said in low voice, like "what awkward girl!". But Eliana decided to ignore that. She had already stopped to listen that kind of comments, because she didn't care. 
- Finally, girl! I was getting tired of my arm. - Patrícia complained, approaching her.
- I'm sorry! - Eliana laughed. - I was distracted.
- Well, I had realized that, at the distance! - She laughed. - Why do you not come to sit next to me?  It has an empty space. - Eliana accepted.
When they were sitting together, Eliana noticed four girls, who were seated in front of her. One of them, the thin, with long straight brown hair, was talking about something which awakened Eliana. 
Her friends was commenting that one day they would like to have children e get married. So, that girl said she didn't want the same thing. She would like to travel around the world and live alone, with her dogs. So, her classmates ridiculed her and she folded her arms, head down, turning to the front.
Eliana began to reflect why people react so badly to this way of thinking. If some of her friends told her that, she would accepted, even if her life goals were different. 

When she stopped to reflect, she noticed they, sudendly, changed the subjet they were talking. They started to talk about something which didn't interest Eliana: Makeup, clothes and the fact that one of them had broken a nail, during the holidays. Even if Eliana had stopped to pay attention to them, she couldn't ignore the girl who was ridiculed before. She was apart from the conversation, pretending  she wasn't listening.
- Margarida! - Some of her friends called her and she faced them. - Do you need to be upset with us? We're teasing with you. 
 Margarida gave them a forced smile, saying "Of course... of course I know".
- You haven't seen anything yet. - Patricia said in a whisper to Eli.
- Poor girl who was ridiculed. - She answered. - What's wrong with her way of thinking? - When Eliana uttered this last sentence, she made Margarida hear her and look behind her. 
Eliana smiled at her to avoid embarrassment and she returned her. It was a sincere smile. As if she felt that someone finally understood her.




- Olha, tens uma pessoa ali a acenar-te há algum tempo. – Disse o rapaz loiro, que estava ao seu lado.
Eliana olhou para o outro lado e viu Patrícia.
- Ah, obrigada.
Ouviu ainda alguns risinhos e comentários ditos em voz baixa, como por exemplo, “que estranha!”. Mas Eli decidiu ignorar. Já tinha parado de prestar atenção aquele gênero de comentários. Já não se importava.
- Até que enfim, miúda! Estava a ficar cansada do braço. – Reclamou Patrícia, aproximando-se dela.
- Desculpa. – Riu-se. – Mas estava distraída.
- Bem, isso deu-se para perceber ao longe! – Riu-se. – Porquê é que não vens para ali sentares-te comigo? Tem um lugar vazio.- Eliana aceitou.
Quando já se encontravam sentadas juntas, Eliana reparou em quatro raparigas sentadas à sua frente. Uma delas, a magra de cabelo castanho liso e comprido, estava a falar sobre algo que despertou Eliana. As amigas dela estavam a comentar que um dia gostavam de ter filhos e casarem-se e a rapariga disse que não queria nada disso. Queria antes viajar pelo mundo e viver sozinha com os seus cães. Então, as suas colegas acabaram por ridicularizá-la e ela cruzou os braços, cabisbaixa, e virando-se para a frente.
Eliana perguntou porque é que as pessoas reagiam tão mal a essa forma de pensar. Se uma amiga dela lhe dissesse que era isso que queria, ela não levaria a mal, apesar dos seus objetivos de vida serem diferentes.
Entretanto, quando parou de refletir, reparou que elas, de repente, mudaram o tema de conversa. Começaram a falar de algo que não lhe interessava: Maquilhagem, roupa e o facto de uma delas ter partido uma unha durante as férias. Mas, apesar de ela as ter ignorado, não deixou de reparar na rapariga, que fora ridicularizada antes e que se pôs à parte da conversa, fingindo que não as estava a ouvir.
- Margarida? – Chamou-a uma das colegas. A rapariga encarou-as. – É preciso ficares amuada connosco? Estávamos a brincar contigo.
A tal Margarida lançou-lhes um sorriso forçado, dizendo: Claro, claro que sei que sim.
- Ainda não viste nada. – Disse Patrícia, em sussurro para Eli.
- Coitada da rapariga que foi ridicularizada. – Respondeu. – Que mal tem pensar daquela forma? – Quando Eliana proferiu aquela última frase, num tom mais alto, Margarida ouviu-a e olhou para trás.
Eliana sorriu-lhe para evitar o constrangimento e esta retribui-lhe. Foi um sorriso sincero. Como se ela tivesse sentido que finalmente alguém a compreendia.




terça-feira, 15 de agosto de 2017

20 anos


Hoje completo 20 anos de vida. 
20 anos de muitas experiências e aprendizagens e 20 anos de muitos mais que espero vir a ter daqui para a frente. Bem, sei que ainda sou muito novinha para falar e que muita coisa vai acontecer, mas mais do que eu ninguém sabe que durante estes 20 anos, muita coisa em mim e na minha vida aconteceu. Sofri e chorei muito, sorri e ri-me muito também, preocupei-me com coisas desnecessárias, tive fases difíceis mas que, de uma maneira ou outra, acabaram por ser ultrapassadas, fui evoluindo e crescendo nisto e aquilo. Vi pessoas irem-se embora e depois voltarem e outras que nem voltaram sequer. Amei, fui amada, sofri desgostos amorosos, mantive (e mantenho) amizades que já duram há bastante tempo e fiz novas. Fui odiada e criticada sem motivo aparente, surpreendi muitas pessoas e a mim mesma. Descobri várias coisas sobre mim que antes não sabia. Amadureci. Mostrei que sou capaz de fazer muita coisa. Fui evoluindo a minha auto-estima aqui e ali, embora saiba que ainda precisa ser melhorada um pouco mais, mas eu sei, melhor que ninguém, que está muito melhor que antes.
Vi a minha vida dar muitas voltas e coisas más que antes achava que iam durar para sempre, a irem-se embora. Porque tudo na vida passa, quer acreditemos ou não. Visitei lugares antes desconhecidos, tive experiências novas, diverti-me muitas vezes e fiz os outros rir, tive muita paciência com muitas pessoas e fui corajosa.
Já duvidei muitas vezes (e de certa maneira ainda duvido) de mim mesma, sem saber que era capaz e mais forte do que eu pensava que era. Tive gente a por-me a baixo, mas depois tinha outras a levantar-me para cima e a fazer-me entender que sou muito melhor do que os outros julgam e daquilo que dizem a meu respeito. Comecei a pouco e pouco a dar pouca importância a certas coisas e pessoas, porque, como bem disseram, nós não temos culpa pela maneira como os outros agem, nem pudemos controlar o que nos acontece, mas temos sim culpa e controle pela maneira como agimos relativamente a essas coisas. Tive ainda a oportunidade de entrar na faculdade e experienciar a vida académica, ainda que saiba que me esperam mais quatro anos mas, lá no fundo, eu sei que esses anos passam a correr.

Hoje sei que, tal como disse, muita coisa me espera. 20 anos é só o inicio de muitos mais. Ainda vou ter que aprender e experienciar muitas coisas, sei que vou amadurecer mais e passar por mais fases boas e más. No entanto, hoje, sei lá no fundo que essas fases são para tirarmos alguma aprendizagem. Se estamos a passar por aquilo, não acredito que seja o universo a querer que soframos e que vivemos na infelicidade e na angústia. Sei que ainda vou rir-me e chorar mais e ainda vou tirar muitas mais fotos para mais tarde recordar (e talvez ficar envergonhada com as figuras tristes gravadas).

Não quero, por fim, fazer promessas e desejos para estes 20 anos. Claro que devemos sempre de fazer algumas, mas por um lado, acho que não vale a pena, porque fazer planos muitas vezes leva a que corra tudo ao contrário. Embora duvide às vezes, eu sei que é verdade que tudo tem um momento certo e a sua razão para acontecer e que por vezes só acontece quando não estamos à espera.  



sábado, 12 de agosto de 2017

More Than Words || 2nd Chapter || 1st part




The Infante D. Duarte high school was located in the heart of the city, which made the first thing that the tourists noticed, when they arrived there, was that big and modern building. It was a quiet and inviting school and it was in their enormous gardens that big events were organized, made by the school teachers or by the students' association, and where some traditional festivities of that city were held. All the teenagers wanted to study there, not only for the pleasant conditions but also for their prestige and promising future that it provided the students.

sábado, 5 de agosto de 2017

More Than Words || 1st chapter || 2nd part



- You're too nice, Patricia! You didn't need to pay me.

- A water isn't too much!

Eliana smiled.

Meanwhile, they went to the table close to one of the windows at the background. They liked being more distanced from others to talk more freely. Eliana sat down beside the only person she knew. Already sitting, she finally looked around the space and noticed the background music and the light colors which gave life to the bar.
- You're not very sociable, are you? - Asked Patricia's cousin, apparently the eldest.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Introversão & Timidez



O tema que vim falar hoje é muito mencionado na sociedade, mas, na maioria das vezes, é caracterizado de maneira errada. Ao longo da minha vida, pude reparar que as pessoas confundem o que é ser introvertido e ser tímido. Pensam que são iguais quando, na verdade, tem significados diferentes, embora tenham características semelhantes. A introversão é considerado um temperamento, assim como a extroversão. Já timidez é considerado um desconforto/medo relativamente a aspetos que englobam interagir/ socializar e, a maior parte das vezes, quando é timidez em excesso, pode ser considerado falta de auto estima. O que quero dizer é que uma pessoa pode ser introvertida e sociável, assim como pode ser extrovertida e tímida.

Today I'm going to talk about a topic that is very much mentioned by society, but, most of the time, it's characterized in the wrong way. Throughout my life, I have noticed that people confuse what it is to be introverted and shy. They think they are equal when, in fact, they have different meanings, although they have similar characteristics. Introversion is considered a temperament, as is extraversion. Shyness is considered a discomfort or fear regarding aspects that involve interacting / socializing and, in most cases, when someone is very shy, it can be considered a lack of self-esteem. What I mean is that a person can be introverted and sociable, just as she can be extroverted and shy.

domingo, 30 de julho de 2017

More Than Words || 1st chapter | 1st part




The summer was still felt in mid-September and, even with the beginning of school and work, the people didn’t spare one day in the beach, with family and friends, to say goodbye to those last days of heat. Eliana chose the last Friday of her holidays to go on walk on Figueira da Foz’s beach. She had just arrived two days ago and she couldn’t resist knowing that place. Unfortunately, Olivia couldn’t come with her, since she was been dealing with the paperwork of the new house and the new job.

As soon as she set the foots in the sand, she felt a great sense of relaxation. She walked until she came close to the sea and put her white sandals and backpack of gangue on the sand, sitting down toward the sea. The seagulls were constantly passing by there and the waves beat softly on the sand. Although there was not much wind, she made her long blonde hair draw back. Eli put her arms around her folded legs and began to reflect. 

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Scream Queens



Como sou uma amante e devoradora de séries, pensei hoje em dar-vos a conhecer uma delas. Scream Queens não é uma série muito conhecida, a meu ver, nem das mais aclamadas. Mesmo assim, é interessante, até porque eu adoro quando filmes/séries se passam em faculdades/liceus. 
Desta vez decidiram misturar dois géneros completamente distintos e que, à primeira vista, parecem não combinar: terror e comédia. Muito sinceramente, eu acho que podem resultar. Dá até um certo ar de Scary Movie. 

As I am a lover and eater of series, I thought I could get you know one of them. Scream Queens isn't a a well-known series and not even the most acclaimed, in my opinion. Even so, it's interessant, because I love when movies / series happen in colleges / high schools.This time they decided to mix two completely different genres and that, at first glance, don' seem to combine: terror and comedy. Quite frankly, I think it might work. It even gives a certain Scary Movie air.

sábado, 22 de julho de 2017

Prologue || Prólogo


Eliana olhou-se ao espelho, de mãos apoiadas sobre a beira do lavatório. Os olhos grandes e azuis encontravam-se, naquele momento, borratados com o rímel e revelavam medo e desesperança. Sabia que era a altura certa para o fazer. Pensou na mãe. Na avó. Na Marta. Estava certa que elas a amavam, mas sentia que devia partir. Deixá-los em paz e longe dos seus problemas, que ninguém, nem mesmo ela, poderiam resolver. Ao menos, acreditava ela.
Encaminhou-se até à porta e trancou-a, lentamente, para que ninguém do lado de fora se apercebesse. Naquele instante, Olívia estava a cozinhar o jantar e a assistir o 24 Kitchen. Pensava na filha e numa forma de a animar. Pensou então em fazer lasanha com legumes, o seu prato favorito. Sabia que não iria resolver os problemas, mas distrai-la um pouco mais. Olhou em relanço para a porta da casa de banho, que se encontrava distanciada da cozinha. Uma vez que estava mais atenta ao que via na televisão e à preparação da lasanha, não se apercebeu que Eliana tinha fechado a porta a casa de banho.

terça-feira, 18 de julho de 2017

More Than Words || First Informations of The Story


Para começar, nada melhor do que dar um "cheirinho" acerca da história. Isto é, que história está por trás de More Than Words? Do que se trata? Quem são as personagens envolventes?
Para terem acesso a estas informações basta acederem à sinopse da história e às suas personagens, que se encontram em páginas diferentes (cliquem nas palavras a negrito).
Vou tentar publicar a história ainda esta semana, no sábado, embora queira publicar outra coisa primeiro e que não tem nada a ver com isto. Algo diferente para não estar sempre a falar da mesma coisa.
Basta aguardarem pelas próximas publicações.


For starters, there is nothing better than a "scent" about history. I mean, what's the story behind "More Than Words"? What is it about? Who are the envolving characters?
If you want to access this information, simply click on synopses of stories and characters, which are on different pages.
I'm going to try to publish the story this week, on Saturday, even though I want to publish something different before, just because I don't want to be publishing always the same thing.
You just have to wait for the next publications.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

A Decision

 
Depois de muito tempo a pensar e a moer muito a cabeça, tive que tomar uma decisão. Percebi que, mesmo que as pessoas possam achar-me uma pessoa indecisa, não faz mal, porque é uma decisão minha. Apesar de não ter muitos seguidores nem muitas visualizações, eu acredito à mesma que o meu blog tem sucesso. Não para os outros, mas para mim. Este blog é a melhor coisa que criei e desde Outubro de 2016, que não me arrependo nada de o ter criado e duvido muito que algum dia vá desistir dele, porque é uma das melhores concretizações que já fiz. E porquê? Eu quando criava os outros blogues, eu fazia-o de acordo com o meu lado emocional e não racional. Eu desabafava muito neles e isso acabava por dar-lhes um final. Eu criava um, fartava-me dele ou alguém descobria e criava outro, o que fazia com que nem um ano durassem. Depois cheguei a um ponto em que disse para mim mesma que já bastava. Foi então que decidi pensar em tudo ao pormenor. O que quero para este blog? Quais são os meus objetivos? Qual nome irei dar e que me identifique tal e qual como sou? 

quarta-feira, 12 de julho de 2017

O Porto





Sei que já venho um pouco tarde, mas desta vez, irei falar em algo diferente daquilo que costumo publicar. Existe uma cidade que sempre que a visito, fascina-me por completo. Tal como o título diz, essa cidade é o Porto. E perguntam vocês, porque disseste que já vinha um pouco tarde? Bem, a verdade é que irei falar num dia em especial: o dia de S. João. E não há melhor cidade, para mim, para festejar este dia, como o Porto. Uma vez que já não é a primeira vez que fui lá, escolhi então falar apenas numa dessas vezes.